Tuesday, March 28, 2017

It´s an outlier!

Os dias nos escritórios são difíceis.





Os dias nos escritórios amanhecem à hora certa.

Os dias nos escritórios são difíceis.

A gravidade dos veludos
exige que se diga alguma coisa que importe.

O rosto chega por vezes tarde ao que é dito
(o passado passa depressa nos escritórios).

Nestes momentos, o rosto acende-se,
dispondo de pouco a pretexto de desculpa.

Quem anda pelos escritórios de rosto aceso
faz-se, por vezes, notar.

Fazer-se notar nos escritórios não ajuda.
Destoa.
Dificulta a faculdade de saber
fazer durar os assuntos.

Fazer durar os assuntos é um ofício difícil (indizível).

Implica deixar os sonhos esquecidos 
no carril da fantasia.

Palavras de Cotrim.

Envelhecimento activo.



Os velhos deviam ensinar a envelhecer.
Os velhos deviam ter um gabinete para ensinar a envelhecer, nas eiras, à sombra, junto de capelas, em balcões de snack-bar.
O gabinete teria um banco e uma janela de abrir, porquanto o assunto é sensível:
ensinar a medir o tempo, o sol que nasce ao longo dos meses, depois de todas as viagens.
Os velhos, nos seus gabinetes, sentados de janela aberta, falariam de campos já maduros para a ceifa.
Envelheceriam, entretanto, um tanto mais.
O seu ânimo seria outro, porém.

Friday, March 24, 2017

Self-disclosure.

Um grande desígnio (LXXXVII).



(ontem fiz a tua barba, a teu pedido, com um pedacinho de espuma nivea men.
não sei que mais dizer sobre este pequeno acontecimento montesinho.
há coisas que ficam, pirilampos invisíveis, fundamentais).

Wednesday, March 22, 2017

Self-disclosure.

Um grande desígnio (LXXXVI).



(gostas de água. no copo, na banheira, na piscina.
gostas de água numa superfície contida.
gostas de chapinhar até se ver o ralo.
se eu fosse a adília lopes, isto até podia ser poesia).

Self-disclosure.

Um grande desígnio (LXXXV).




(é oficial: já assobias melhor do que eu).

Monday, March 20, 2017

Palavras de Cotrim.

Dia de festa.



Nos dias de festa, as vizinhas põem os brincos, as camisolas bonitas.
Nas conversas, os assuntos especiosos de sempre persistem.

As dores. Os lamentos. As doenças. Os outros.

Wednesday, March 15, 2017

Self-disclosure.

Uma grande razão (VIII).



(aos teus quatro meses, tenho tido oportunidade de aprender contigo, por fim, no osso vivido concreto, alguns elementos fundamentais de psicologia. psicologia que não é medicina que não é biologia ou fisiologia, que não é arte, comércio ou economia. psicologia que não é abstracção vaga, neutralizada, pujança comercial, ideologia de substituição ou tecnologia de vigilância íntima. psicologia que é afecto, relação, cognição, comportamento de razão esquiva. aos teus quatro meses, sorris trezentas, trezentas e cinquenta vezes por dia. choras quando tens fome, quando tens sono, quando estás especialmente suja. choras quanto te ignoram. choras quando ficas ou percebes que estás sozinha. gostas de adormecer de mão dada). 

Monday, March 13, 2017

Self-disclosure.

Um grande desígnio (LXXXIV).



(há um sítio especial onde por vezes te espantas.
neste sítio, há senhores que andam sentados, 
há senhoras que passam de luvas,
senhores que olham com atenção a parede,
senhoras de xaile que respiram por um tubo
como se vivessem debaixo de água.
neste sítio, há um rapaz novo que tem sessenta e três anos.
neste sítio, janta-se às cinco e cheira a cerelac à tarde.
neste sítio, o avô grande tem uma bengala que é quase da tua altura).

It`s an outlier!

Da sedução da viagem: É moderno não estar.



Viajar permite a separação temporária do presente, do passado imperioso.
Quando se viaja, enquanto se viaja, tudo é (mais) possível
(tudo é, em simultâneo, leve, portátil, eterno).

Viajar permite dizer que se está fora.
Viajar permite dizer que se vai estar fora.
Viajar permite dizer que se esteve fora.

Viajar permite não se estar.
Viajar permite dizer que não se está.
Viajar permite dizer que não se vai estar.

É moderno não estar.
É moderno dizer que não se está.

Thursday, March 09, 2017

It`s an outlier!

Meaning is retrospective: Da clareza do que vemos a posteriori.



Uma experiência, os efeitos de uma experiência, distinguem-se apenas no tempo, depois de serem vividos, de serem constituídos como (uma) história. Uma experiência, a consciência dos efeitos de uma acção, resulta especialmente clara, apenas quando é já passado (Schutz*, 1967, p. 51). Apenas a acção passada se encontra disponível para interpretação. 

Noutros termos: apenas (re)conhecemos uma acção, depois da mesma estar concluída (Mead*, 1956, p. 136). Isto é: no retrospecto, a posteriori, tudo resulta claro, óbvio, habitual, isento de equívoco.






Mead, G. H. (1956). Social psychology. Chicago: University of Chicago Press. 
Schutz, A. (1967). The phenomenology of the social world. Evanston: Northwestern University Press.

Self-disclosure.

Um grande desígnio (LXXXIII).



(na semana passada, houve um dia em que fizeste, pela primeira vez, qualquer coisa no pote da creche. o acontecimento foi celebrado num portal. o progresso megastore assume, por vezes, contornos insondáveis. o portal da creche diz-nos como são os teus dias em matéria de comeres, de cumprimento de expectativas, de dejecções. o portal da creche diz-nos coisas de ti, com ênfase, ora em itálico, ora a negrito. em casa, celebrámos o advento da tua primeira larada certeira com bolo de laranja. bem bom, diga-se, por sinal).

Palavras de Cotrim.

Abril.



Em abril, as avós já não adoecem tanto.
As viagens da junta trazem o mar
- o mar que é bom para o amor,
para o riso, para os nomes.